domingo, 28 de abril de 2013

Cortes da vida

Eu nem deveria estar aqui, não nas condições que estou.
Por mais que reclame e tente mudar, ou por mais que haja mudanças, melhores ou piores, o fato é que estou estacionada. E isso definitivamente não é bom.
Estacionada na linha, na qual tracei para alcançar minha meta. Sim, sempre essa coisa, o maldito peso, o corpo magro, o corpo bonito, a magreza excessiva, talvez a doentia. Minha mente não é tão insana, não acho que por buscar um corpo esquelético, eu esteja louca.
Mas, há certo prazer em sentir poder sobre si, sentir que suas ações levaram você a ficar magra, a ficar vazia, digo, leve. Com toda a certeza, deve haver uma análise psicológica para minha meta, e o meio pelo qual eu tento chegar a ela. Porém, estou longe de entender, ambos.

Hoje é domingo, pé de cachimbo. E vou repetir, como já disse várias e várias vezes, é um porre este dia.
Fracassei, dentro das minhas expectativas. Hoje em um filme que estava vendo, um moço disse que não tinha fracassos na vida, pois só fracassa quem cria expectativas. Pois é, vou ser sempre uma gorda fracassada. Não, eu fui sempre.
No livro O Segredo, ensina que as pessoas tem de ter pensamento positivo sobre o que quer, e assim acontecerá. Tem que ter fé, acreditar. Realmente, não descredito das palavras do autor, pessoas sem perspectivas não vão a lugar algum. Ou seja, eu tenho que mudar meu ponto de vista, talvez. 
Ver a vida como ela é, mas vista por outro lado, como diz Marcelo D2.



Descrevo tais filosofias de estomago cheio. Sim, lotado aliás. 
Preenchido de massas e doces, resultantes da janta que minha mãe fez. Eu sou apaixonada por macarrão, e minha mãe cozinha divinamente. Hoje ela fez com molho branco, o meu preferido. Comi 2 pratadas, ao repetir a terceira, minha prima interveio, e disse que eu estava comendo muito, que era exagero comer daquele tanto, que depois eu reclamaria. Eu simplesmente guardei a resposta dentro de mim, mesmo sabendo que naquele momento não surgiria nada apropriado de minha boca. Hesitei, e repeti.
Meu namorado me conhece, e sabe que é quase impossível me brecar, quando estou em crise.

O comentário foi como um corte no meu pulso. Mas não de alívio, como costuma ser.
Minha prima é daquelas que se eu emagreço uma grama, ela fala que estou horrível de magra. Porém, se engordo a mesma grama, me chama de gorda.
Eu realmente não deveria dar a mínima para isso, pois é irrelevante, né? Mas quando se trata de uma pessoa vulnerável sobre sua aparência e peso, tudo o que alguém diz sobre ela, torna-se o corte do pulso.
Estou aqui, com os pulsos cortados, não fisicamente, mas psicológicamente. Estou com o estomago cheio, e tomando refrigerante, esperando minha preguiça ir embora, para que eu possa ir ao banheiro, criar coragem, encarar o espelho mil vezes, e por fim, vomitar.
Tomar algum remédio, tomar água, e pensar que por mais uma vez, hoje foi o último dia dessa porcaria toda, e que amanhã, é, amanhã e nenhum dia a mais; mas, amanhã, tudo será diferente, vai ser o dia em que eu realmente vou largar a bulimia, o dia em que eu realmente vou gostar de mim, e vou fazer minhas atitudes valerem a pena. Vou no fim do dia poder dizer que este valeu a pena.

4 comentários:

  1. flor, vc nao deve e nao pode desistir, vc ta tao perto de chegar ao peso dos seus sonhos, e ah manda essa sua prima (desculpa) se foder, so acho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deveria ter mandado ela ir pros quintos, realmente.

      Excluir
  2. "...Mas quando se trata de uma pessoa vulnerável sobre sua aparência e peso, tudo o que alguém diz sobre ela, torna-se o corte do pulso"
    Isso é uma verdade,dolorosa mas ainda assim é a nossa realidade,só nos resta em momentos como esse nós recolher ao nosso canto e ficar sofrendo por dentro,mas não deixe que seus deslizes te faça enfraquecer tire de cada um deles a força necessária pra recomeçar,uma,duas,três..dez vezes se for preciso mas a cada uma delas com mais determinação que a anterior..Boa sorte

    Beijos <33

    ResponderExcluir
  3. A tua prima é uma estúpida, desculpa lá que to diga. Ignora-a. És superior a ela pois estás numa luta que talvez ela não conseguisse travar. Dá valor a quem te faz bem e te sentir bem.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir